Publicado em 9/4/2015 10:20:46 AM

Gestão integrada reforça segurança cidadã em conjuntos habitacionais do Ganchinho

Grupo da Prefeitura planeja ações para o enfrentamento dos problemas de violações de direitos, violência e criminalidade

Representantes de dez órgãos e secretarias da Prefeitura de Curitiba se reuniram nesta quinta-feira (3) no bairro Ganchinho com o objetivo de reforçar as políticas de segurança cidadã na região de abrangência de cinco grandes conjuntos habitacionais: os residenciais Parque Iguaçu, Novo Bairro, Araçá, Ipê e Buriti.

Para dar conta especialmente das demandas por serviços públicos e da área de segurança, foi instalado pelo Gabinete de Gestão Integrada da Segurança Pública (GGI) o Grupo de Trabalho Moradia Mais Segura 2 – Parque Iguaçu e Buriti, que abrange perto de 1,5 mil famílias. A criação do Grupo de Trabalho se deu a pedido da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab), a partir do exemplo de articulação entre os organismos públicos municipais e de segurança pública realizado para a implantação, no ano passado, dos residenciais Aroeiras e Imbuias no bairro Santa Cândida.

O trabalho realizado nos conjuntos Aroeiras e Imbuias propiciou, segundo o GGI, um planejamento diferenciado para o enfrentamento dos problemas de violações de direitos, violência e criminalidade que se observam nas grandes concentrações populacionais. “É preciso reunir todos esses agentes porque a segurança pública na cidade, a partir das comunidades locais, é resultado de outras políticas de promoção da cidadania”, disse o coordenador técnico do GGI de Curitiba, Marlon Cardoso. “Estamos aprimorando essa forma de trabalhar, promovendo a segurança cidadã de maneira integrada para que, antes mesmo da construção dos conjuntos, já se possa prever toda a rede de serviços para atendimento da população, em especial no que se refere à segurança pública.”, acrescentou Cardoso.

Esse modelo de planejamento chamou a atenção do governo federal, que pretende usar essa metodologia criada em Curitiba nas etapas de implantação dos projetos habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida em todo país. “Com a crise econômica e a consequente queda na oferta de empregos, vivemos um momento de tendência de crescimento da criminalidade. Tendo consciência desse fato, podemos empreender ações e tomar atitudes para melhorar a segurança das famílias, o acolhimento e, com isso, diminuir o ônus da violência e da vulnerabilidade social para a cidade”, argumentou o presidente da Cohab, Ubiraci Rodrigues.

O gestor da rede integrada de segurança no GGI, Major José Oliveira, comentou que “ações como estas, onde as secretarias e órgãos de segurança pública atuam de maneira integrada, rompem receios que os moradores possam ter de se aproximar dessas instituições, passando a vê-las como parceiras essenciais no processo de busca da melhor e mais segura qualidade de vida”, disse.

Trabalho Social
Durante seis meses, após a inauguração dos conjuntos, uma equipe de técnicos das áreas ambiental e social da Prefeitura de Curitiba acompanhou a adaptação das famílias provenientes de todas as regionais da cidade em seu novo lar. Também serviram de ponte para articular a relação dos moradores com a rede dos serviços públicos existentes na região. Realizaram reuniões com a comunidade, visitas domiciliares, feira de serviços da Prefeitura, entre diversas outras ações.

Esse trabalho, agora, está sendo retomado por mais um ano, com foco no protagonismo comunitário e na ampliação da participação das pessoas nas tomadas de decisões sobre as políticas públicas locais. Em parceria com os gestores da regional Bairro Novo, as equipes de profissionais do Município vão, ainda, atualizar as informações sobre a necessidade de inclusão de serviços públicos às famílias da região e sobre sua adaptação no bairro e nos conjuntos.

Para o 1º Tenente Rafael Kowalski, subcomandante do policiamento da região, pelo 13º Comando Regional da Polícia Militar, “o trabalho integrado dos órgãos do estado e do município é de uma importância imensurável para a cidade e ajuda em muito o trabalho da PM”. Segundo ele, “essa ação traz o poder público para perto das pessoas e dá o suporte para que se possa não apenas responder aos crimes, mas, também, evitá-los, a partir da melhor qualidade de vida das famílias”, completou.

Ele disse que o maior volume de chamadas para o 190, canal de emergência da PM-PR, na região, é decorrente dos problemas de convivência na comunidade e de relacionamento entre os moradores. Também é registrada uma grande quantidade de ocorrências de violência doméstica e familiar. É por isso que nos residenciais Parque Iguaçu e Buriti serão realizadas, ainda, palestras sobre os serviços municipais e serão também tratadas as questões preventivas no âmbito da segurança pública pelos órgãos da polícia e bombeiros.

A Cohab apresentou recentemente ao Colegiado Pleno do GGI do Município, presidido pelo prefeito Gustavo Fruet, uma programação dos empreendimentos habitacionais na cidade até 2018. Essa informação a Prefeitura de Curitiba compartilhou com as instituições de segurança pública que atuam no município, das esferas estadual e federal, para que possam, desde já, programar e planejar suas ações, efetivo e estrutura diante desse quadro de movimentação populacional na cidade.

 

« voltar
 

Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

Desenvolvido por GPA'prospera