Mais 193 famílias vão passar o Natal em casa nova

    A Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) reassentou nesta segunda e terça-feira (21 e 22) um total de 193 famílias que moravam nas margens de rios em sete áreas de ocupação irregular da cidade.

     

     

     

    A Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) reassentou nesta segunda e terça-feira (21 e 22) um total de 193 famílias que moravam nas margens de rios em sete áreas de ocupação irregular da cidade. Elas foram transferidas para casas e sobrados de alvenaria construídas em seis novos loteamentos, implantados especialmente para abrigar os reassentados.

    "O programa habitacional do município está cumprindo sua função, que é melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem em condição precária de moradia. E, ao mesmo tempo, estamos contribuindo para recuperar o meio ambiente, eliminando ocupações indevidas das margens de rios", explica o prefeito Beto Richa.

    Os reassentamentos ocorreram de forma simultânea, nas diversas vilas. De acordo com o presidente da Cohab, Mounir Chaowiche, a Prefeitura ofereceu apoio e infraestrutura para a operação de transferência. O trabalho envolveu cerca de 50 pessoas da Companhia, das áreas de serviço social, obras, imobiliária e administrativa. As famílias tiveram transporte para a mudança, auxílio de mão de obra e alimentação.

    A presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Fernanda Richa visitou nesta terça-feira (22), a Associação de Moradores Vila Leão, no bairro Novo Mundo, para acompanhar de perto o reassentamento de 51 famílias, que vivem em área de risco e serão transferidas para loteamentos da Cohab, onde passarão a morar com segurança, em casas de alvenaria ou sobrados."São moradores que estavam em situação de risco, cujo atendimento pelo programa habitacional do município já estava previsto, mas teve que ser antecipado em função da condição crítica que elas estavam enfrentando na ocupação", explica Fernanda Richa, que conversou com as famílias.

     

    Uma das maiores movimentações para reassentamento ocorreu na Vila Parolin, onde, em dois dias, foram transferidas para casas e sobrados 40 famílias que estavam em situação de risco. Além da margem do rio, as mudanças alcançaram também moradores do ponto conhecido como "Morro do Sabão" - um trecho da Vila Parolin que fica numa encosta, onde o perigo maior é o desabamento das casas, principalmente nos períodos de chuvas e excesso de umidade.

    O vigilante Antonio da Silva Júnior conhece bem esta situação. Ele está na área há 20 anos, desde os 12 anos de idade. Morava com a mulher Walquíria e a ficha Michaela, de 12 anos, no pé do morro. Ali, o risco maior era ser soterrado, pois a terra das partes mais altas estava se soltando, ameaçando derrubar as casas. "Não tinha tranqüilidade naquele lugar", contou ele, já instalado no sobrado novo onde irá passar o Natal com a família. "Foi o melhor presente que ganhei em toda minha vida", falou.

    A zeladora Rosilene Andrade da Silva também comemorou a mudança. Ela nasceu na Vila Parolin e estava morando numa casa mista de quatro peças com os três filhos, em condição muito precária, sob o "Morro do Sabão". "Não via a hora de mudar para um lugar melhor. Agora, posso ir aos poucos arrumando minha casa", disse. Antes da mudança, ela havia construído o muro e colocado piso de lajota no imóvel - um sobrado de dois quartos.

    Michele Archangelo também viveu sempre na Vila. Casada com o pedreiro Ronaldo, ela tem três filhos e contou que vivia preocupada. Quando chovia, a preocupação dobrava. Ela trabalha em uma empresa de limpeza e temia pela filha mais velha, de 12 anos, que fica em casa sozinha durante a tarde. "Agora, terei mais tranqüilidade, pois tenho um lugar seguro para morar", disse.

    Além da Vila Parolin, foram reasssentadas também 51 famílias das Vilas Leão, Uberlândia e Formosa, áreas localizadas nos bairros do Novo Mundo e Fazendinha. A transferência foi feita para dois locais: Moradias Ferrovila Minas Gerais, na Vila Guaíra, e Moradias Assaí, na CIC. Na Vila Icaraí, no Uberaba, mais 64 famílias foram reassentadas no loteamento Moradias União Ferroviária, localizado no mesmo bairro.

    Para o Moradias Monteiro Lobato, no Tatuquara, foram levadas 32 famílias das Vilas Belo Ar e Beira Rio, e para o Moradias Sítio Cercado VI, foram transferidas seis famílias da Vila Gramados. Com as mudanças destes dois dias, foram completados este ano 969 reassentamentos de famílias em situação de risco. 

    Vila Leão: O reassentamento acompanhado por Fernanda Richa faz parte das ações do programa "Morar em Curitiba", desenvolvido pela Prefeitura de Curitiba em 42 áreas irregulares da cidade. Na Vila Leão e em outras duas vilas próximas à bacia do rio Formosa ? Uberlância e Formosa, a previsão é atender 51 famílias com reassentamento. A prioridade para reassentamento é dada às famílias que enfrentam o maior risco.

    É o caso da dona-de-casa Juliana Alves, que construiu sua casa na rua Francisco Ader, as margens do rio Formosa. "Estou tão ansiosa para mudar para minha casa nova, que nem dormi essa noite de tanta ansiedade", disse Juliana, casada e mãe de dois filhos, que no último temporal viu a casa ser invadida pela cheia do rio.

    Para Madalena Gonçalves Pinheirinho, de 72 anos, este ano será o melhor de todos. "Estou muito feliz com o presentão que ganhei", comenta a aposentada. "Esse vai ser o melhor natal da minha vida", sorri Madalena, que acompanhou de perto o caminhão transportar sua mobília para a casa nova. A aposentada faz parte de um grupo de 29 famílias que estão sendo relocadas para o loteamento Arroio, construído na CIC pela Cohab para receber as famílias da Vila Leão.

    Após a saída das casas das margens dos rios, a Prefeitura começará o trabalho de recuperação ambiental nos locais desocupados. Sete bacias hidrográficas são alcançadas pelo programa: rio Belém, rio Iguaçu, rio Vila Formosa, ribeirão dos Padilha, rio Atuba, rio Passaúna e rio Barigui.

    Confira os principais números do programa de urbanização e reassentamento da Prefeitura:

    10,8 mil famílias atendidas
    6.090 famílias reassentadas
    4,8 mil famílias atendidas com obras de urbanização
    43 Vilas com obras de urbanização em andamento
    6 bacias hidrográficas beneficiadas com a retirada de famílias de APPs (áreas de preservação permanente)
    R$ 276,8 milhões de investimento
    29 novos loteamentos para reassentamento, em 16 diferentes bairros
    1,3 milhão de metros quadrados de área para loteamentos
    32 quilômetros de margem de rios serão recuperados com a saída das famílias

     

    « voltar
     

    Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

    Desenvolvido por GPA'prospera