Publicado em 4/2/2012 10:12:00 AM

Famílias das Vilas Parolin, União e Yasmin recebem escrituras

Além dos documentos, as famílias da Vila Parolin receberam também um barracão do programa EcoCidadão, que irá atender moradores que trabalham com coleta de material reciclável

O prefeito Luciano Ducci participou neste sábado (31) de solenidades de entrega de escrituras para 615 famílias de áreas irregulares e de inauguração de um novo barracão do programa EcoCidadão. As melhorias fazem parte do programa habitacional do município e beneficiaram moradores das Vilas Parolin, União Ferroviária e Yasmin.

“A atuação habitacional da Prefeitura prevê o atendimento integral às famílias, proporcionando a segurança da titulação dos imóveis e também a oferta de equipamentos como o barracão, que garante a renda das famílias que tiram o seu sustento da atividade de coleta de recicláveis”, disse o prefeito.

Ele destacou a importância da escritura dos imóveis e disse que somente no mês de março este benefício alcançou mais de 1 mil famílias de áreas irregulares. “Não é um simples papel. É um documento registrado em cartório, com fé pública, que muda para melhor a vida das pessoas”, falou.

A entrega dos documentos e do barracão teve a participação do secretário municipal de habitação, Osmar Bertoldi, do presidente da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab), Ibson Campos, da secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, da presidente da Fundação de Ação Social, Marry Ducci, do presidente da Companhia de Habitação do Paraná, Mounir Chaowiche, dos administradores regionais do Portão, Gilberto Bedin, e do Cajuru, Maria Izabel de Paula, e dos secretários municipais do Meio Ambiente, Marilza Dias, da Educação, Liliane Sabbag , e de Relações com a Comunidade, Fernando Guedes, além do vereador Roberto Hinça.

Cidadania - O primeiro compromisso foi na Vila Parolin, onde 190 famílias receberam documentos de seus imóveis e foi inaugurada 13ª unidade do programa EcoCidadão. Depois, em outra solenidade que reuniu moradores das Vilas União Ferroviária e Yasmin, no Uberaba, mais 425 famílias foram contempladas com escrituras.

“O título de propriedade de um imóvel tem uma importância muito grande para famílias que viveram durante muitos anos em imóveis irregulares, sem segurança e, em alguns casos, correndo risco. É uma forma de garantir a cidadania para uma parcela da população que vivia à margem da cidade formal”, explica o secretário Bertoldi.

Janete Cardoso Ramires, vendedora, da Vila Parolin,  reconhece ao valor do documento que recebeu. “Estava esperando por isso há mais de 15 anos. Hoje é um dia de grande felicidade”, disse ela, que até o ano passado morava com o marido e três filhas na beira do rio. Roseli de Fátima Soares, zeladora, outra moradora da Vila Parolin, mãe de três filhos, teve uma reação semelhante ao receber o documento: “É uma benção. Vida nova para minha família depois de deixar o valetão”, falou.

Helena Barcelar de Sampaio está há 17 anos na Vila Yasmin e também comemorou a escritura. “Passei a vida toda pagando aluguel e, quando cheguei na ocupação, não tinha nada. Aos poucos, a vila foi melhorando e, agora, estou feliz porque tenho o documento do imóvel, com segurança para o resto da vida”, falou.

Divino Pedro, motorista, e Rosângela Pereira dos Santos, auxiliar de escritório, moram na Vila Yasmin há 11 anos. Ali, criaram os dois filhos e contam que a conquista da escritura era um antigo sonho. “Estamos satisfeitos. Agora, temos uma herança para deixar para os filhos”, declarou.

Parolin - A entrega de escrituras e do barracão de recicláveis são ações previstas dentro de um projeto mais amplo, de urbanização da Vila Parolin. Ali, a Prefeitura está investindo R$ 52,4 milhões, com recursos próprios e do governo federal, para dar uma nova condição de vida para 1.546 famílias. Deste total, 716 famílias que viviam em situação de risco estão sendo transferidas para casas novas de alvenaria, construídas nas imediações da própria Vila.


Até agora, 336 famílias foram reassentadas e, entre elas, 190 receberam neste sábado a escritura dos imóveis onde estão morando em segurança. Logo após a mudança, elas haviam assinado um termo de concessão de uso das unidades e, agora, com a liberação das escrituras, se tornaram proprietárias dos imóveis. Elas irão pagar pelo imóvel. A prestação inicial do financiamento é de R$ 88, com prazo de 25 anos para pagamento - valor inferior ao custo de um aluguel na região (em torno de R$ 500). 

O barracão inaugurado foi construído pela Cohab, como parte do projeto de urbanização. A construção significou um investimento de R$ 284 mil, com recursos do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS) e da Prefeitura. São 300 metros quadrados de área construída, abrangendo local para separação, classificação e expedição do material reciclável; sanitários; refeitório; depósito; sistema de coleta e filtragem das águas das chuvas e espaço para carga e descarga.

A partir de agora, a unidade será administrada pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e vai funcionar como o 13º parque de recepção de recicláveis do programa EcoCidadão, que tem como objetivo a inclusão socioambiental dos catadores informais. Criado em 2007, o programa inclui a participação da Fundação de Ação Social e de organismos do terceiro setor. 

O barracão irá atender coletores de material reciclável moradores da Vila que tiram seu sustento desta atividade. Eles utilizavam o próprio quintal como depósito e local de separação dos resíduos, colocando em risco a saúde da família e prejudicando o meio ambiente..

Durante a solenidade, o prefeito anunciou a entrada em operação de um novo barracão no local. “Em razão do grande número de coletores entre os moradores da Vila Parolin, a Prefeitura está alugando um imóvel para funcionar como um segundo parque de recicláveis na comunidade”, falou. De acordo com a secretária Marilza Dias, o imóvel locado irá passar por reformas para adequação ao projeto e deverá iniciar atividades nos próximos 90 dias.


Josenilda de Oliveira Rocha, conhecida na Vila Parolin como Baiana, tinha motivo duplo para comemorar: ela recebeu a escritura da casa e também integra o grupo de coletores que vai utilizar o barracão inaugurado pelo prefeito. “Esperei 16 anos para ter uma casa com documento. Agora, além do imóvel próprio, tenho um lugar decente para trabalhar. Com o barracão, não seremos mais explorados e vamos aumentar nossos rendimentos”, disse.


Bolsão Audi - Também foram tituladas neste sábado 425 famílias das Vilas União Ferroviária e Yasmin, duas áreas irregulares que integram o chamado bolsão Audi - União, um complexo de ocupações no bairro do Uberaba, que reúne mais de 3 mil famílias e está sendo urbanizado pela Prefeitura. A atuação no local visa possibilitar a regularização das famílias que estão em pontos onde é possível o uso habitacional, eliminar os pontos de risco e insalubridade e reassentar na própria área famílias que estavam em situação de risco ou insalubridade.

Das 425 famílias que receberam escritura, 382 foram contempladas com doccumentos dos lotes onde moram e outras 43, que haviam sido reassentadas, tiveram acesso à escritura das casas onde passaram a morar após deixar a área de risco. As casas estão em local próximo à origem das famílias, que, como no caso da Vila Parolin, puderam trocar a concessão de uso dos imóveis pela escritura de propriedade. Elas também irão pagar pelos imóveis, prestações em torno de R$ 110, para financiamento em 25 anos.

Os documentos dos lotes foram entregues a 291 famílias da Vila União Ferroviária e a outras 91 da Vila Yasmin. São áreas que passaram pelo processo de regularização fundiária porque não havia impedimento para a permanência das casas no local.

Para melhorar a condição das famílias regularizadas, a Cohab investiu em obras de infraestrutura nas Vilas. Entre as obras já executadas no bolsão estão a implantação de canais de macro-drenagem; construção de diques para contenção de cheias; construção de 255 casas para reassentamento de famílias em situação de risco; implantação de redes de drenagem, água, esgoto, energia elétrica e iluminação pública; construção de uma unidade de atendimento da Fundação de Acão Social e  pavimentação de ruas.

O investimento na urbanização do bolsão chega a R$ 50,1 milhões, com recursos dos governos federal e estadual e do município. Neste total estão incluídas obras que estão em andamento, como a de implantação do Parque da Imigração Japonesa (no mesmo local onde viviam cerca de 800 famílias, retiradas pela Cohab da margem do rio Iguaçu e reassentadas em loteamentos regulares do programa habitacional); a construção de um Centro da Juventude; uma creche e um barracão para tratamento de material reciclável.
 

« voltar
 

Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

Desenvolvido por GPA'prospera