Publicado em 8/31/2012 12:09:13 PM

Escritura do terreno garante benefícios aos moradores

Cohab convocou famílias da vila Recanto das Andorinhas que ainda não haviam sido tituladas

A falta de escritura que garanta a propriedade do terreno onde mora uma família pode trazer prejuízo aos moradores. Além de não ser oficialmente proprietário do local em que vive, o cidadão sem escritura perde benefícios importantes, como a possibilidade de conseguir um financiamento junto a Caixa Econômica para compra de materiais de construção com vistas a ampliar ou reformar o imóvel.

Entre as atribuições da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) está a regularização fundiária de ocupações irregulares, para assegurar às famílias a titulação das propriedades. Nesta quinta-feira (30) técnicos da Cohab estiveram na vila Recanto das Andorinhas, no Santa Quitéria, para receber das famílias a documentação necessária para a elaboração das escrituras.

Ocupada há mais de 20 anos, a vila Recanto das Andorinhas já está consolidada no que diz respeito à infraestrutura e equipamentos públicos. Há seis anos, a Cohab concluiu o processo de regularização da área e na época a maioria das famílias aderiu ao projeto e obteve o acesso à escritura. Dos 123 lotes que formam a vila, 71 estão escriturados e para regularizar a situação dos outros 52, a Cohab convocou as famílias para entregarem a documentação exigida.

Problemas por falta da escritura - O cabeleireiro Jonílson Francóvia, 49 anos, foi dos primeiros a chegar no local há duas décadas. “Aqui não tinha água encanada, nem luz elétrica, nada. As famílias construíram seus barracos e aos poucos o poder público foi trazendo as melhorias. Hoje temos tudo, mas para alguns como eu ainda faltava a escritura do terreno. Eu não imaginava, mas isto me trouxe problemas há três anos atrás”, conta.

A família de Jonílson mora em um sobrado. Na parte de baixo fica o seu salão de beleza e em cima ele vive com a esposa e filho. Em 2009, decidiu reformar o imóvel. Esperava modernizar e ampliar a construção, trocar o telhado que vinha apresentando problemas e também as janelas, que eram muito antigas. Buscou um financiamento para materiais de construção junto à Caixa Econômica e não conseguiu aprovação. Motivo? Falta de escritura do lote.

“Foi uma grande decepção, mas serviu para eu rever a importância de ter tudo documentado. Felizmente agora eu entreguei a documentação para regularizar isto. Aquele desejo antigo de reformar o imóvel vai poder virar realidade”, comemora o cabeleireiro.

Outra que ainda estava sem a escritura de posse do lote é a  auxiliar de serviços gerais Zilda Camargo dos Santos, 51 anos. Ela é moradora local há 18, onde vive até hoje na mesma casa, com o filho Edélcio, de 22. “Gostamos muito de morar aqui, pois vimos a vila crescer. Hoje temos por perto todo tipo de comércio e serviços”, destaca.

Com relação à escritura do lote, Zilda comenta que acabou deixando passar, mas agora não quis perder a oportunidade novamente. “É um documento importante. Muito bom que a Cohab procurou as famílias de novo para acertar tudo. A escritura é mais segurança. É a garantia de que se me acontecer algo, o terreno ficará para meu filho. Assim vivo com maior tranquilidade”, finaliza.

« voltar
 

Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

Desenvolvido por GPA'prospera