Publicado em 12/19/2012 4:59:07 PM

Mais 50 famílias deixam a beira de rios para morar em casas seguras

O reassentamento beneficia famílias que moram em vilas localizadas na abrangência das bacias dos rios Formosa e Ribeirão dos Padilha

Mais 50 famílias vão passar o Natal em casa nova. Elas moravam na beira de rios e estão sendo transferidas nesta quarta e quinta-feira (19 e 20) para unidades que foram construídas pela Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) nos bairros da Vila Guaíra e da CIC.

Com a entrega das novas unidades, o programa habitacional do município completa 4.942 reassentamentos no período 2009 / 2012. A maior parte das transferências – cerca de 90 % - beneficiou moradores que viviam nas margens de rios, enfrentando riscos de enchentes e comprometendo a preservação ambiental.

Das 50 famílias que estão sendo reassentadas nesta etapa, 22 foram para o Moradias Castanheiras, na CIC, nesta quarta-feira (20). Elas são originárias das Vilas Ulisses Guimarães e Piratini, localizadas no Pinheirinho, na abrangência da bacia do Ribeirão dos Padilha.

O reassentamento das outras 28 famílias acontece nesta quinta-feira (20) no empreendimento Moradias Ferrovila Minas Gerais, na Vila Guaíra. Os reassentados são originários da Vila Formosa e moravam em domicílios na margem do rio Formosa.

Planos - Maria de Lourdes Gomes da Silva Cardoso trocou a Vila Piratini, onde morou por cerca de 10 anos, por um sobrado do Moradias Castanheira, que fica ao lado da sede da Administração Regional da CIC. Com o marido e dois filhos, Mateus e Vanessa (de 12 e 9 anos de idade), ela tem planos para a casa nova. Quer aos poucos melhorar e ampliar o imóvel. O primeiro passo, ainda antes da mudança, foi a colocação de piso cerâmico. “Agora temos segurança para investir na arrumação da casa. Antes nem tínhamos ânimo para pensar em melhorias porque morávamos num fundo de vale”, contou.

Para ela, o sobrado da família tem um significado especial, porque nos últimos oito meses participou da sua construção. Maria de Lourdes foi contratada pela empresa que executa a obra do Moradias Castanheira para trabalhar como servente e, neste curto período de tempo, já foi promovida. É hoje responsável pelo almoxarifado da obra e, agora, trabalhando junto da casa nova poderá ficar mais perto dos filhos.

Valdivino Oliveira, mestre de obras, é outro morador novo do Castanheira. Ele mudou com a mulher, Maria Terezinha, e com a filha Tatiele, para um sobrado e também já planeja fazer melhorias no imóvel. “Como tenho experiência com construção, quero aproveitar para deixar a casa mais bonita”, disse. A mulher e a filha apóiam. “Enfrentamos muitas enchentes na Vila Piratini e tivemos muitos prejuízos, pois a cada chuva perdíamos parte dos móveis”, lembrou Maria Terezinha.

José Aparecido da Silva, soldador, e Júlia Rodrigues Carneiro, manicuri, viveram durante 14 anos na Vila Piratini e, neste tempo, contabilizaram pelo menos três grandes enchentes, com perda praticamente total de seus pertences. Com dois filhos, de 14 e 7 anos, eles esperam viver com mais tranquilidade a partir de agora. “Estamos animados. Sem risco de enchentes, tudo vai melhorar”, falou Júlia.

Investimento – Os empreendimentos Moradias Castanheira e Ferrovila Minas Gerais fazem parte de um conjunto de intervenções do programa habitacional da cidade para melhorar a condição de moradia de famílias que enfrentam situação de risco. O foco principal do projeto são os domicílios localizados em beira de rios. “Desta forma, a atuação habitacional tem também um componente ambiental, pois, ao retirar famílias destas áreas e oferecer a elas moradias seguras, estamos também contribuindo para a recuperação ambiental das faixas de preservação ao longo dos rios”, explica o presidente da Cohab, Ibson Campos.

Para melhorar a condição de vida dos moradores de áreas de risco foram criadas 41 áreas de reassentamento na cidade, que se espalham por 20 bairros e, juntas, somam 1,2 milhão de metros quadrados – uma área semelhante à do bairro do Juvevê. O investimento é de R$ 399,8 milhões, com recursos do município e dos governos federal e estadual e além de financiamentos contratados pela Prefeitura.

Os Moradias Castanheira e Ferrovila Minas Gerais são dois destes empreendimentos destinados ao reassentamento de famílias em situação de risco. Os dois estão sendo entregues de forma gradativa, a medida que as unidades são concluídas.

O Castanheira, com 156 unidades, significa em investimento de R$ 4,5 milhões e tem 34 sobrados concluídos. São casas e sobrados destinados a famílias das Vilas Ulisses Guimarães, Piratini e Independência.

Já o Ferrovila Minas Gerais, com 178 sobrados, tem um custo de R$ 4,7 milhões e está recebendo moradores da Vila Formosa. Até agora, foram liberadas às famílias um total de 94 unidades.
 

« voltar
 

Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

Desenvolvido por GPA'prospera