Publicado em 4/2/2013 4:23:30 PM

Mais de 3,8 mil mudas de árvores estão sendo plantadas em conjuntos da Cohab

Legislação municipal prevê plantio de mudas em novos empreendimentos habitacionais

Não é somente de concreto e tijolos que são concebidos os empreendimentos habitacionais da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab). Juntamente com os apartamentos, casas e sobrados, os conjuntos recebem o plantio de mudas de árvores de diferentes espécies. Nos últimos 12 meses foram plantadas 3.841 árvores em 22 empreendimentos - 12 já entregues e dez em fase final de obras.

O plantio de mudas de árvores em novas edificações está previsto na lei municipal 9806/00. O artigo 21 determina que em construções para uso residencial, a cada 150 metros quadrados de área construída é obrigatório o plantio de uma árvore. “A emissão do  Certificado de Vistoria de Conclusão de Obras (CVCO) do empreendimento está condicionada ao cumprimento desta exigência”, explica o presidente da Cohab, Ubiraci Rodrigues.

Portanto, o plantio de árvores de acordo com este cálculo é condição indispensável para a entrega das chaves dos imóveis para as famílias beneficiadas. Em muitos conjuntos o número de mudas supera o mínimo exigido. O Moradias Boa Esperança no Tatuquara, por exemplo, conta com 202 sobrados de 47 metros quadrados cada, com um total de 9,5 mil metros quadrados de área construída. A exigência legal para emissão do CVCO era de 63 mudas, porém, no local foram plantadas 218 mudas de árvores.

Existem situações em que a implantação de um conjunto habitacional requer o corte de árvores. Nestes casos, a legislação prevê a reposição de outras duas árvores a cada uma que for cortada, contudo se for retirada uma araucária, quatro outras árvores precisam ser plantadas. “As espécies são recomendadas pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e quando comprovadamente não for possível efetuar o replantio no mesmo imóvel, as mudas podem ser doadas ao município, que vai determinar o local do plantio”, diz Rodrigues.

Entre as espécies utilizadas para arborizar os conjuntos estão as frutíferas araçá, pitanga, ingá e guabiroba e outras como aroeira, cássia, sibipiruna, bauhinia, ipê roxo, ipê amarelo, angico e dedaleiro. De acordo com o solo do local e a proximidade ou não de rios, córregos ou fundos de vale é que são definidas as espécies para cada empreendimento.

Fundos de vale
Em alguns locais o plantio das mudas auxilia na recuperação de áreas com vegetação insuficiente, em especial em fundos de vale. Situação do Residencial Morretes, empreendimento de 48 apartamentos em fase final de obras, no CIC e de seu vizinho Residencial Antonina, com 160 unidades.

A área que fica entre os dois conjuntos é de fundo de vale e se encontrava com a vegetação muito rala. O plano de arborização para o local definiu o plantio de 600 mudas variadas no primeiro conjunto e outras 400 no segundo. “Desta forma garantimos a preservação do bosque ao tornar a vegetação mais encorpada”, ressalta o presidente da Cohab.

Os Residenciais Palmas de Ouro I e II, com um total de 560 unidades habitacionais, foram entregues para as famílias no final de 2012. Nos conjuntos, que estão localizados no bairro Cachoeira, ocorreu situação semelhante. Para adensar o fundo de vale que estava com a vegetação comprometida foram plantadas 730 mudas de árvores.

« voltar
 

Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

Desenvolvido por GPA'prospera