Publicado em 4/10/2013 5:19:35 PM

Famílias com inscrição antiga comparecem à Cohab para oferta de apartamentos

Dos 469 convocados, 67% já recusou quatro ou mais convocações anteriores

Com o objetivo de agilizar o atendimento à fila de inscritos, a Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) deu uma nova oportunidade para famílias com inscrições antigas. As 469 famílias inscritas entre 1989 e 1997 com renda entre R$ 1.601 e R$ 3.275 foram convocadas para reuniões explicativas que aconteceram nesta quarta-feira (10). Deste total, 315 (67%) já havia recusado quatro ou mais ofertas de imóveis do programa habitacional do município.

“É comum falarem que existem famílias há 15, 20 anos aguardando na fila da Cohab. Contudo, é importante esclarecer que todos os inscritos já foram chamados pelo menos uma vez. Há centenas de situações de inscritos que negaram oito, nove convocações. Por isto fomos obrigados a alterar as normas, visando acelerar o fluxo de atendimento”, explica o presidente da Cohab, Ubiraci Rodrigues.

Entre os 469 convocados, 90 recusaram imóveis em sete oportunidades, enquanto outros 60 não aceitaram oito ofertas. Onze inscritos recusaram nove convocações e dez famílias negaram nada menos do que dez chamamentos para aquisição de moradia. “As pessoas não aceitam por dois motivos principais. Ou pela tipologia do imóvel, quando por exemplo deseja-se casa mas a oferta é de apartamento. Ou então pela localização”, afirma Rodrigues.

Regra nova
É a primeira vez que a Cohab está empregando as novas normas de atendimento à fila. A partir de agora, as famílias que recusarem a oferta do imóvel vão receber uma nova inscrição, o que na prática é como voltar ao final da fila. Anteriormente, os inscritos que recusavam permaneciam na mesma posição aguardando novo chamado. “Desta maneira esperamos diminuir a recusa, principal empecilho que impede a fila de andar”, diz Rodrigues.

As famílias, que fazem parte da chamada faixa 2 do programa Minha Casa Minha Vida, foram chamadas para adquirir apartamentos do Residencial Cidade de Pádova. O empreendimento de 416 unidades, em obras no Campo de Santana, é resultado de parceria entre a Cohab, Prefeitura e a Caixa Econômica Federal.

Os inscritos antigos foram convocados para duas reuniões nesta quarta-feira (10), uma pela manhã e outra à tarde. O objetivo é explicar as normas do programa e as condições de financiamento. Ao término da apresentação, os interessados em adquirir um imóvel devem agendar a entrega da documentação necessária para aprovar o financiamento.

Recusas
Segundo o novo modelo de atendimento, quem não comparecer às reuniões, não justificar a ausência e nem responder aos chamados estará sujeito ao cancelamento de sua inscrição. Para a primeira reunião com as famílias com inscrições antigas foram convocados 241 inscritos, porém somente 83 compareceram e dos presentes, apenas 52 aceitaram a oferta de imóvel.

A modelista Elisabete de Fátima, 46 anos, está inscrita na Cohab há mais de 20 anos, período em que já foi chamada quatro vezes para ofertas de imóveis. Assim como nas outras ocasiões, ela novamente recusou. Desta vez porém, precisará fazer uma nova inscrição. “Campo de Santana eu acho muito longe, prefiro aguardar uma oportunidade futura em outro local. Enquanto isso continuo no aluguel”, disse.

Após a reunião, todos os participantes assinam um documento no qual declaram ter ciência da aplicação das novas normas de atendimento. Caso o candidato convocado para aquisição de unidades tenha interesse na unidade ofertada mas esteja com restrição cadastral (Cadin, Serasa e SPC), será concedido um prazo de 30 dias para regularização das pendências.

Finalmente
Após 18 anos na fila da Cohab, o motorista Domingos César Possidônio, 49 anos, finalmente está prestes a realizar o sonho da casa própria. Inscrito desde 1995, ele já havia sido convocado em outras seis oportunidades, mas não teve o financiamento aprovado. Ele e a esposa Celina moram em uma casa no Uberaba, onde pagam aluguel de R$ 500. “Estamos muito felizes, a espera valeu a pena. Casa própria é o que todo mundo quer e nós estamos muito perto de conseguir”, comemora ela.

O metalúrgico Roberval da Silva e sua esposa Elissandra também se interessaram por um apartamento no Cidade de Pádova. Inscritos desde 1997, eles já haviam sido convocados em três ocasiões. “Foi na época em que compramos o carro, então não tínhamos como assumir o financiamento. Agora esperamos que de tudo certo”, diz ela.
   
Empreendimento

Para a construção do Residencial Cidade de Pádova estão sendo investidos R$ 39,6 milhões, recursos do programa Minha Casa Minha Vida. Os apartamentos de dois quartos tem área útil de 43 metros quadrados. O condomínio terá de área de estacionamento e de recreação, além de salão de festas com churrasqueira e quadra esportiva. As unidades térreas vão custar R$ 91,5 mil e as demais R$ 96,5 mil.

O financiamento terá juros de 5% a 6 % ao ano, valor abaixo das taxas praticadas no mercado. De acordo com a renda das famílias, o subsídio do governo federal pode chegar a R$ 17 mil - quanto menor a renda maior o benefício. Quem tem FGTS ou poupança poderá utilizar este recurso para abater no financiamento e reduzir a prestação mensal, que também é variável de acordo com cada orçamento. Uma família com renda de R$ 1,6 mil vai pagar uma parcela de aproximadamente R$ 480.

O Residencial Cidade de Pádova faz parte de um complexo de condomínios com um total de 1,3 mil unidades que está sendo implantado no bairro Campo de Santana, em local próximo à futura Rua da Cidadania do Tatuquara.

« voltar
 

Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

Desenvolvido por GPA'prospera