Publicado em 6/4/2014 7:01:34 PM

Projetos de reassentamento de famílias contam com forte trabalho ambiental

Técnicos ambientais coordenam ações com os moradores que são retirados das áreas de risco social

Curitiba é conhecida nacional e internacionalmente como uma capital que se preocupa com as questões relacionadas ao meio ambiente. No programa de urbanização de favelas, coordenado pela Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab), não poderia ser diferente. O componente ambiental é parte importante nos projetos de reassentamento de famílias que vivem em condições precárias nas ocupações irregulares espalhadas pela cidade.

Técnicos contratados para atuar nos projetos de urbanização e reassentamento participam de todas as etapas de intervenção - antes, durante e depois da transferência das famílias de áreas de risco para novos conjuntos habitacionais. A maior parte dos cidadãos atendidos pelo programa são retirados de ocupações que se formam nas margens dos rios da cidade.

O trabalho ambiental em área de atuação da Cohab não se resume a obras físicas. Os projetos de reassentamento são divididos por bacias hidrográficas e cada uma das equipes conta com um técnico ambiental. Tanto nas áreas de origem das famílias como também nos novos empreendimentos que elas passam a habitar, os profissionais desenvolvem ações de conscientização com os moradores. Os projetos têm apoio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA).

As principais questões abordadas são referentes à separação do lixo, guarda responsável de animais domésticos, implantação de hortas individuais e comunitárias, plantio de mudas de árvores, entre outras.

Algumas ocupações concentram pessoas que trabalham com a coleta de materiais recicláveis. Com eles é feito um trabalho especial de orientação para que não acumulem muito material em casa. Eles são capacitados a realizar a adequada coleta, separação e organização dos materiais, além de receberem informações sobre saúde no trabalho. Nas áreas em que existem barracões, os coletores são encaminhados para o projeto EcoCidadão.

Multiplicadores
Outra ação dos técnicos ambientais nos projetos de reassentamento é a formação de agentes multiplicadores. Em parceria com escolas, creches, unidades da Fundação de Ação Social (FAS) e outras entidades de cada região, eles realizam um trabalho de educação ambiental com crianças e adolescentes. O objetivo é que estes jovens possam repassar os conhecimentos adquiridos para seus amigos e familiares.

Conceitos como redução de consumo e reaproveitamento de materiais são trabalhados não só na teoria, mas também na prática. No contraturno escolar, estudantes participam de atividades como a produção de uma floreira a partir de pneus velhos e a confecção de pequenos vasos feitos com garrafa pet.

Plantio
Os novos conjuntos para onde são transferidas as famílias recebem o plantio de mudas de árvores, para futuramente garantir sombra e também para embelezar o local. Em muitas situações, os próprios moradores, mobilizados pelos técnicos ambientais, é que realizam este plantio. Nestes casos é trabalhada a ideia do “adote uma árvore”, ou seja, cada família fica responsável por cuidar de uma árvore.

Em outras áreas, ações de incentivo aos cuidados com a casa voltadas para o meio ambiente são adotadas, como no Moradias Jandaia, no Ganchinho, onde está acontecendo a campanha “calçada limpa”. Os moradores interessados em participar recebem a doação de flores para plantar em frente à casa. A condição é manter a calçada bem cuidada e em boas condições de higiene.

Além do plantio das árvores e das flores, os moradores reassentados são incentivados a fazerem hortas em suas casas. Além de ajudar a manter o quintal organizado, as hortas proporcionam uma alimentação saudável e também podem complementar o orçamento das famílias que plantam para vender. A implantação de hortas é realizada em parceria com a Secretaria Municipal do Abastecimento (SMAB), que fornece sementes e outros insumos.

Animais
No momento em que uma família é transferida para sua nova moradia é preciso que haja o transporte dos animais de estimação. Este trabalho é feito em parceria com o Centro de Controle de Zoonoses e Vetores, da Secretaria Municipal de Saúde.

Além disso, os técnicos ambientais dos projetos de reassentamento incentivam os moradores a manterem uma guarda responsável dos animais. Para tal, fornecem orientações e possibilitam a participação na Campanha Municipal de Castração Gratuita, que visa evitar uma superpopulação de cães nas ruas da cidade.

“Urbanizar favelas é muito mais do que reassentar famílias e entregar novas casas. Estas pessoas que deixam as beiras de rios precisam ser reeducadas para que se acostumem a um novo estilo de vida. A questão ambiental esta incluída aqui, para auxiliar estas famílias a enxergar o meio ambiente de outra forma. Para que se conscientizem da importância do papel de cada cidadão no contexto geral”, finaliza o presidente da Cohab, Ubiraci Rodrigues.
 

« voltar
 

Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

Desenvolvido por GPA'prospera